5G, novos desafios desta tecnologia

5G, NOVOS DESAFIOS DESTA TECNOLOGIA

 

RESUMO:

O presente artigo tem como objetivo colocar alguns pontos sob a perspectiva da nova tecnologia do 5G e seus desafios. Com bases em alguns aspectos, este artigo objetivou analisar quais serão as implicações e possíveis impactos, tendo como base o uso das super frequências que serão utilizadas no novo sistema de telefonia móvel. Foram estudados alguns dos principais problemas que podemos ter e suas respectivas soluções. Realizou-se um estudo de abordagem simples, de caráter descritivo-analítico e exploratório, desenvolvido por meio de pesquisas assim como de testes já realizados, bem como, análise de documentos oficiais e relatórios, relativos aos estudos sobre esta nova tecnologia 5G. O desdobramento desta tecnologia e suas principais barreiras com base nas frequências de utilização desta tecnologia, passando dos problemas de atenuação de sinal pelo simples fato de estar na mão do usuário até a interferência nos sistemas e equipamentos atuais de meteorologia. Sendo assim é necessária a definição de limites para o uso de certas frequências assim como o uso de novas tecnologias para suportar este novo sistema de transmissão de dados em altíssima velocidade.

Palavras-chaves: Super frequências; Telefonia Móvel; Altíssima velocidade; 5G.

 

1.INTRODUÇÃO:

Com o advento das novas tecnologias temos uma evolução que traz uma serie de novos desafios. A chegada do 5G, para muitos e apenas mais uma tecnologia na transmissão de dados em alta velocidade, porem por trás desta tecnologia há muito mais fatores e desafios a superar.

A construção de redes 5G pode reduzir a exatidão da previsão do tempo em até 30%. O alerta foi realizado pelo chefe da Administração Nacional Oceânica e Atmosférica (NOAA, na sigla em inglês), Neil Jacobs. Jacobs ainda ressalta que as previsões poderiam errar o local onde grandes tempestades e outros fenômenos aconteceriam, colocando em risco à vida de muitas pessoas. Não é a primeira vez que órgãos alertam sobre a interferência do 5G na previsão do tempo. Nos últimos meses, até a NASA reforçou o discurso.

Outro problema ocorreu na apresentação de Junehee Lee, chefe de estratégia de tecnologia da Samsung, que relatou a dificuldade de criar um smartphone 5G. Ele deixa claro que um aparelho preparado para o 5G seria necessariamente grande e grosso para abrigar todo o equipamento necessário para conectar o dispositivo às novas redes móveis. Para piorar, o dispositivo ainda consumiria quantidades altíssimas de energia, sugando a bateria do aparelho rapidamente.

Outra questão é o uso e cobrança de dados,  por exemplo ao iniciar um vídeo no site “youtube” em poucos segundos o vídeo completo já estaria carregado no dispositivo sem saber se há interesse do usuário em assistir o vídeo por completo, este será um novo desafio para os usuários e para as operadoras.

 

2.METODOLOGIA

O presente trabalho foi realizado por meio da abordagem simples, de caráter descritivo-analítico, desenvolvido por meio de uma intensa pesquisa acerca da nova tecnologia publicada em sites e artigos científicos publicados em periódicos, bem como, da análise de documentos e relatórios, relativos ao tema em estudo. Nessa pesquisa, buscou-se analisar, a realidade dos fatos relativos ao do tema em questão, destacando esta nova tecnologia e seus possíveis impactos em tecnologias existentes.

 

3.FREQUENCIAS DE TRANSMISSÃO

O principal diferencial para as outras tecnologias presentes é a mmWAVE , ondas milimétricas. Que partem de 20GHz até 100GHz  porem no 5G ondas acima de 60GHz estão sendo preparadas apenas para um futuro próximo. Em termos de comparação a rede 4G no Brasil opera no maximo a 2,5GHz.

No entanto quanto mais alta, ou maior, for à frequência maior a dificuldade em atravessar obstáculos como paredes áreas verdes e ate vidros, neste caso até a mão que segura o celular seria um obstáculo, o que nos leva a repensar sobre a quantidade de torres e repetidores de sinal seriam necessários para cobrir uma área. Motivo pelo qual no Brasil foi muito importante liberar a faixa de 700 MHz para o 4G já que por ser uma frequência baixa tem maior penetração e alcance conseguindo atravessar paredes e obstáculos com maior facilidade. As frequências muito altas do 5G que permitem trafegar dados em altas velocidades e com baixa latência terão os problemas opostos: dificuldades de penetração através de objetos sólidos e baixíssimo alcance.

Há duas situações possíveis, uma se você estiver em sua casa ou apartamento, dependendo da distancia da torre ou repetidor de celular a recepção em alta velocidade pode ser impossível, já uma vez que você esteja dentro de áreas que disponham de cobertura local mesmo que internas como shopping e aeroportos será fácil alcançar as melhores velocidades de transmissão de dados.

Porem nem tudo são problemas uma vez que temos frequência “sub-6”, que está na faixa inferior a 6GHz, em comparação com as outras faixas é a mais próxima da faixa de frequência do 4G. Sendo assim não haverá grandes problemas para a implementação desta faixa de frequência, com relação a obstáculos e cobertura.

 

4.TECNOLOGIA PRESENTE NOS EQUIPAMENTOS

Um dos principais desafios dos fabricantes de smartphones e a utilização das faixas de frequências mais altas, que por sua vez permitem a transferência de dados em altíssima velocidade. Atualmente para poder utiliza-las temos que implementar algumas melhorias e desenvolver estas tecnologias. Hoje temos dois, considerando os smartphones,os principais são o tamanho do dispositivo para esta nova tecnologia em suas diversas frequências de transmissão além do consumo que iria necessitar de uma bateria de grande capacidade.

 Por este motivo, a Samsung criou um celular especificamente dedicado para quem quer conectividade 5G: o Galaxy S10 5G. Ele dribla as dificuldades mencionadas acima sendo enorme, com tela de 6,7 polegadas e pesando quase 200 gramas. Isso tudo para abrigar os componentes necessários para o 5G e uma bateria grande de 4.500 mAh.

Uma dificuldade similar foi vista com a Motorola, que preferiu não lançar um celular 5G, e optou apenas por criar um acessório Moto Snap que habilita o Moto Z para conectar-se ao 5G. O componente também torna o celular consideravelmente mais pesado e volumoso, tornando seu uso mais inconveniente.

Com as novas tecnologias sendo desenvolvidas, e o grande anseio de conseguir chegar primeiro, as grandes empresas de tecnologia estão desenvolvendo cada vez componentes menores não só no tamanho, mas também no consumo. Alem destes temos o uso de algumas faixas de frequência o que preocupa e muito os meteorologistas.

5.PROBLEMAS COM A METEROLOGIA

Aqui esta um problema na liberação de frequências sem um estudo adequado.

A NASA e a NOAA(Administração Oceânica e Atmosférica Nacional dos EUA), já emitiram um alerta para a utilização de frequências muito próximas aos dos equipamentos meteorológicos, estas frequências podem gerar falhas na detecção de possíveis mudanças climáticas, uma vez que a frequência de 24GHz e próxima da frequência usada por satélites para verificar o vapor d’água e prever tais mudanças no tempo. A condição de uma internet mais rápida não pode se sobrepor a vidas, que podem ser salvas através de uma precisa previsão meteorológicas.

Além desta  preocupação que tem ganhado corpo nos últimos meses, temos também a falta de estudos destas super frequências com relação ao meio ambiente e aos organismos vivos incluindo os seres humanos.

6.VELOCIDADE VS PLANO DE DADOS

Parece obvio porem deve ser sempre lembrado, quanto mais rápido a internet, mais consumimos dados, isto e diretamente proporcional, ou melhor exponencial. Nos primeiros testes feitos com esta tecnologia várias pessoas receberam a notificação do uso total ou quase total de seus planos. Isso só reforça a ideia de que para cada mudança de tecnologia temos que mudar nossos parâmetros de medida, no começo mediamos em Kilobites ,Megabites. Gigabites e agora será em Terabites.

7.CONCLUSÃO

 

A cada nova geração de tecnologia de celular é incluída mudanças nas faixas de frequências e os modos como operam. Isso é o que acontece principalmente com a tecnologia 5G.

O que realmente difere das outras é a quantidade de novos espectros de frequência podendo partir de 6GHz até a 100GHz .

Porem para solucionar estes obstáculos além da ânsia por maior largura de banda, também está levando os desenvolvedores e fabricantes de dispositivos a obter um desempenho superior nas bandas de frequência celular sub-6 GHz lotadas com uma variedade de técnicas que agregam várias bandas celulares e aumentam a largura de banda de canal único. Pois as diferenças de frequência entre as atuais 4G (2,5GHz) e o 5G na frequência sub-6GHz é pequena em comparação as super frequencias que partem dos 20GHz até 100GHz.

Com a chegada da indústria 4.0 e a Internet das Coisas ( IoT ), há muitos incentivos a desenvolver uma variedade de modos operacionais para o 5G para atender a crescente variedade de aplicativos. O 5G está sendo projetado para se tornar uma solução modular para os desafios da conectividade sem fio universal.

 

REFERÊNCIAS

 

Canaltech, Thaís Augusto. Redes 5G podem reduzir exatidão da previsão do tempo em até 30% em: https://canaltech.com.br/telecom/redes-5g-podem-reduzir-exatidao-da-previsao-do-tempo-em-ate-30-139971/ Acesso em 20 de dezembro de 2019

Olhar Digital, Renato Santino, editado por Cesar Schaeffer. Os desafios do 5G: como a tecnologia precisa evoluir para alcançar seu potencial em: https://olhardigital.com.br/noticia/os-desafios-do-5g-como-a-tecnologia-precisa-evoluir-para-alcancar-seu-potencial/87778 Acesso em 20 de dezembro de 2019


Autor: Anderson Joilson Sansonowski
Udocs.me